domingo, 30 de noviembre de 2014

Comemoração dos 20 Anos da Descoberta das Gravuras do Côa



O Parque Arqueológico do Vale do Côa e o Museu do Côa assinalam, de 29 de Novembro a 2 de Dezembro, a passagem de duas décadas sobre a descoberta da Arte do Côa.

Em Novembro de 1994 começaram a surgir as primeiras notícias relativas a importantes achados arqueológicos na área que seria submersa pela barragem do Baixo Côa, vindo depois a confirmar-se que se trata do maior complexo de arte rupestre paleolítico ao ar livre conhecido até hoje.

Para comemorar a efeméride foi preparado um programa evocativo, do qual se destaca, no dia 29 de Novembro, a reabertura ao público da sala D do Museu do Côa, ultrapassados que foram os condicionalismos técnicos que levaram ao seu encerramento. Mantendo o espírito da história que se conta no Museu, esta sala continuará dedicada ao chamado coração do "santuário arcaico paleolítico" da Penascosa/Quinta da Barca. [...] arte-coa.pt/

Relacionado:  Encontrados Vale do Côa vestígios que podem datar do Paleolítico Médio
Arqueólogos do Vale do Côa admitiram pela primeira vez terem descoberto ao longo do ano novos sítios cuja data pode ir até ao Paleolítico Médio, disse à Lusa o director do Parque Arqueológico do Côa, Martinho Batista.

Segundo Martinho Baptista, arqueólogo e director do Parque Arqueológico do Cô, a campanha de sondagem e prospecção revelou achados do "período grafetense", com cerca de 30 mil anos, e provavelmente com níveis de ocupação até anteriores, o que será depois apurado com novas escavações agendadas para 2015.

O anúncio foi feito quando se assinalam 20 anos sobre as primeiras descobertas da Arte do Côa e os 16 anos da sua classificação como Património Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco)...